Bloco de notas da Semana "Como o amor salva?" — Gama Revista
Como o amor salva?

5

Bloco de notas

Bloco de Notas

A potência do amor de acordo com bell hooks, o luto, os pensamentos de Alain de Botton para driblar a ideia de amor perfeito, o olhar de Felix Gonzalez-Torres sobre o amor LGBTQ+ são algumas dicas da equipe Gama

5

Bloco de notas

Bloco de Notas

A potência do amor de acordo com bell hooks, o luto, os pensamentos de Alain de Botton para driblar a ideia de amor perfeito, o olhar de Felix Gonzalez-Torres sobre o amor LGBTQ+ são algumas dicas da equipe Gama

11 de Abril de 2021
  • Imagem da listagem de bloco de notas
    Untitled (Perfect Lovers), 1991
    Felix Gonzalez-Torres

    O cubano naturalizado americano Félix González-Torres (1957-1996) utilizou a arte como uma forma de resistência ao abordar temas como o AMOR LGBTQ+. Na obra “Untitled (Perfect Lovers)” (1991), vemos dois relógios aparentemente iguais, mas que, com o tempo e o uso da bateria vão se descompassando. “O TEMPO É ALGO QUE ME ASSUSTA… ou assustava. Essa obra que fiz com dois relógios foi a coisa mais assustadora que já produzi. Eu quis olhar pra isso. Eu quis esses dois relógios exatamente na minha frente, fazendo tique-taque”, disse.

  • Imagem da listagem de bloco de notas
    Editora Elefante

    O que aconteceria se colocássemos o amor como centralidade da vida? É o questionamento de bell hooks em TUDO SOBRE AMOR(Editora Elefante, 2021), o lançamento da autora, professora e teórica feminista faz parte da sua nova Trilogia do Amor, que debate as mais diversas facetas do amor, sem ignorar as suas relações com a cultura patriarcal de abuso e violência. Em entrevista, hooks enfatiza que o “primeiro amor é o amor próprio […]. A maioria de nós vive essa jornada de forma tão árdua porque vivemos em uma cultura de baixa auto-estima. Mulheres, especificamente, com frequência são arrebatadas pela armadilha da baixa auto-estima.”

  • “A compatibilidade é uma conquista do amor; não deve ser sua pré-condição’’

    Entender as RELAÇÕES AMOROSAS não é tarefa fácil, principalmente quando se parte de uma ideia de amor perfeito e irreal. No livro CURSO DO AMOR” (Intrínseca, 2017), Alain de Botton obriga o leitor a encarar a verdade sobre como realmente uma relação é constituída e quebra os contos de fadas: pessoa ideal não existe.

  • Imagem da listagem de bloco de notas
    Gustav Klimt

    Em tempos pandêmicos, o carinho e o afeto tiveram de ser reinventados — e fez muita gente sentir saudades de coisas simples, como abraçar quem se ama. A clássica pintura “O BEIJO” (1907-1908), de Gustav Klimt (1862-1918), traz o afeto de um casal apaixonado: abraçados, o homem inclina-se para beijar a amada.

  • Imagem da listagem de bloco de notas
    20th Century Fox

    Para os apaixonados por um bom romance jovem, “Com Amor, Simon” (2017) é perfeito para aquecer o coração. O filme de Greg Berlanti relata com humor e empatia a história de Simon Spier (Nick Robinson), um garoto de 17 anos que esconde sua sexualidade da família e amigos com medo de julgamento. Como um MARCO REPRESENTATIVO, o filme é o primeiro é primeiro romance adolescente gay de um grande estúdio.

  • Imagem da listagem de bloco de notas
    Laurie Anderson

    A perda de uma pessoa especial, o processo do luto e de aprender a lidar com a AUSÊNCIA DO AMOR daqueles que se foram. De maneira poética, a artista e diretora LAURIE ANDERSON trata damorte, da perda de sua cadela Lollabelle, dos atentados de 11 de Setembro nos Estados Unidos no emocionante documentário “Coração de Cachorro” (2015).

  • Imagem da listagem de bloco de notas
    Verena Smit

    A artista paulistana Verena Smit utiliza o mix das palavras e as fotografias para chegar ao resultado final de suas obras. Ao trocar algumas letras do lugar, ela tem o poder de ressignificar frases e, como é o caso da obra acima, POTENCIALIZAR A REPRESENTAÇÃO DO AMOR.

  • Os games estão cada vez mais próximos da realidade – e ainda são utilizados para alguns tratamentos psicológicos. Em “Florence” (2018), a personagem principal do jogo tem 25 anos e está saturada da rotina exaustiva do trabalho e de ainda desperdiçar boa parte do seu tempo nas redes sociais. Até que a ela encontra o violoncelista Krish, que, por meio da PAIXÃO MUDA COMPLETAMENTE O SEU COTIDIANO.


  • Escute esta canção em outro momento caso A DOR DA DESPEDIDA tenha arrasado seu coração recentemente. Em “I Will Never Love Again”, parte da trilha sonora de “Assim Nasce Uma Estrela” (2018) — filme que estrela Lady Gaga e Bradley Cooper como casal protagonista — Ally, personagem da cantora pop, despede-se do seu amado.

  • Já ouviu falar de AMOR POLÍTICO? Martin Luther King (1929-1968) mostrou que o amor é indissociável da luta política. Ele não falava de amor sentimental, mas da habilidade de dialogar e compreender. Amar, na democracia, é um trabalho consciente, diário e essencial. O jeito como lidamos com o outro, com o que pensa diferente, se encaixa nessa categoria de amor, sobre a qual Gama tratou na reportagem Já praticou o amor hoje?