Conteúdos sobre fotografia na Gama Revista

fotografia

Imagem de destaque do post
Ir

Mostra celebra Rosângela Rennó em SP

Marcando seus 35 anos de carreira, Rosângela Rennó é tema de uma mostra na Pinacoteca de São Paulo, com 130 obras produzidas pela artista mineira ao longo de quatro décadas. Um dos focos de Rennó é a fotografia expandida, que extrapola a imagem e traz elementos de seu contexto social e técnico. A exposição "Pequena Ecologia da Imagem" contém ainda “Eaux des Colonies” e “Seres Notáveis do Mundo”, trabalhos inéditos no país. A mostra fica em cartaz até março de 2022. (Leonardo Neiva)
Imagem de destaque do post
Ir

Vida e obra de Paulo Freire no Itaú Cultural

Reverenciado mundo afora, o filósofo, escritor e educador pernambucano (1921-1997) teria feito 100 anos em 19 de setembro. Entre uma das muitas homenagens feitas a ele neste momento, a “Ocupação Paulo Freire”, no Itaú Cultural, em São Paulo, revisita seu legado em cerca de 140 itens, entre documentos, fotos, cartas, vídeos e peças originais. Está lá, por exemplo, uma projeção com as páginas manuscritas de “Pedagogia do Oprimido”, um de seus livros mais conhecidos. O site traz alguns materiais adicionais. (Betina Neves)
Imagem de destaque do post
Ler

As noites que pareciam ser o fim da pandemia nos EUA

Para ter um vislumbre de como a vida pode voltar a ser nas grandes cidades, reportagem do New York Times mostra imagens de um período entre ondas do vírus, de maio a julho, quando o país teve a impressão de que a pandemia tinha finalmente acabado. O jornal mandou 40 fotógrafos para diversos cantos de Nova York para documentar festas, shows, bares, baladas, restaurantes e eventos ao ar livre, do entardecer à madrugada. O resultado é um interessante recorte das muitas caras da cidade e a certeza de que a vida noturna é parte essencial do ecossistema urbano. (Betina Neves)
Imagem de destaque do post
Assistir

Espetáculo audiovisual com Filipe Catto inaugura série “Instantâneas”

Filipe Catto inaugura a série do Instituto Moreira Salles que busca promover o diálogo entre música e fotografia. Neste sábado (3), às 21h, no canal da instituição no YouTube, Catto protagoniza “Metamorfoses”, com músicas inspiradas na mostra da fotógrafa Madalena Schwartz (1921-1993), que registrou travestis e transformistas de São Paulo na primeira metade dos anos 1970. A mostra está em cartaz até setembro no IMS Paulista. (Amauri Arrais)
Imagem de destaque do post
Ir

MAM da Bahia volta à vida

Depois de quase seis anos fechado, consequência de uma longa reforma somada às restrições da pandemia, o Museu de Arte Moderna da Bahia, também sob nova direção, está reabrindo suas portas -- com mudanças. A maior parte da reforma é de autoria do arquiteto André Vainer, que seguiu os passos de Lina Bo Bardi. O prédio ganhou novo píer, atracadouro e uma reserva técnica. Também recebeu doações, como um retrato de Bo Bardi feito por Bob Wolfenson, que passa a integrar a mostra. (Manuela Stelzer)
Imagem de destaque do post
Ir

A obra de Mario Cravo Neto

As investigações na lisergia urbana de Nova York dos anos 70 e o mergulho nas representações das religiões de matriz afro-brasileira contam a história de um dos mais importantes fotógrafos da história do Brasil. Com curadoria de Luis Camilo Osorio, a exposição Espíritos Sem Nomes retoma a trajetória de Mario Cravo Neto (1947 – 2000) ao mostrar 319 fotografias, cadernos, cartas e originais. Em cartaz no IMS. (Guilherme Falcão)
Imagem de destaque do post
Fazer

Os muitos caminhos da fotografia no Brasil

A fotografia no Brasil é um dos temas na grade de cursos da nova plataforma de ensino Rama, focada nas artes visuais. De abril a junho, o curso “Efeito do Real: uma cartografia do fazer fotográfico no Brasil” discute a história da fotografia no país, desde seu desembarque até a contemporaneidade, passando por seus usos e funções no século 19, seu desenvolvimento e inserção no circuito da arte no século 20 (ao lado, foto de Pio Figueiroa). Inscrições no site da Rama. (Manuela Stelzer)
Imagem de destaque do post
Ir

A vibrante noite paulistana de Madalena Schwartz

A fotógrafa de ascendência húngara Madalena Schwartz, cuja obra está exposta no IMS, morava no centro de São Paulo, estrategicamente posicionada para registrar com suas lentes o rebuliço, a efervescência e a exuberância da noite: transformistas, travestis, um espectro maravilhoso de identidades, sexualidades e verdades. Entre os retratados estão Ney Matogrosso e os Dzi Croquettes. Ah, a saudade da aglomeração… (Guilherme Falcão)
Imagem de destaque do post
Ler

A história de São Paulo em imagens

Um mergulho pelo acervo do Museu do Ipiranga mostra as transformações da paisagem paulistana ao longo do tempo: no site São Paulo – Território em Construção, que entra no ar em 25 de janeiro na comemoração dos 467 anos da cidade, fotos – como as de Militão Augusto de Azevedo, do século 19 –, pinturas, mapas e depoimentos de historiadores e arquitetos contam a trajetória de desenvolvimento da metrópole. (Mariana Payno)
Imagem de destaque do post
Ler

O olhar de Claudia Jaguaribe sobre a pandemia

Atenta aos detalhes do cotidiano, a fotógrafa Claudia Jaguaribe não deixou escapar as cenas pandêmicas: depois de registrar uma São Paulo vazia no começo da quarentena, ela volta às ruas clicando pessoas que retomam a rotina de máscara. No novo livro “Duplo”, com posfácios da pneumologista Margareth Dacolmo e do filósofo Victor Stirnimann, os personagens contrastam com cenários urbanos em uma nova realidade do dia a dia. (Mariana Payno)
Imagem de destaque do post
Ler

Registros fotográficos de um médico

Junto à responsabilidade de ser um dos profissionais de saúde em ação no combate ao novo coronavírus no Rio de Janeiro, o cirurgião Ary Bassous carrega também um talento artístico: fotógrafo premiado nacional e internacionalmente, ele aproveita as lacunas de sua escala para registrar a rotina pandêmica dos dois hospitais onde trabalha. Além das fotos emocionantes que revelam o dia a dia de quem está na linha de frente contra a Covid-19, esta reportagem da National Geographic Brasil conta a história de Bassous e de outros profissionais de saúde que foram infectados pelo vírus.
Imagem de destaque do post
Ler

Arte brasileira no IMS digital

Crônicas de Ana Paula Maia, Cidinha da Silva, Geovani Martins e Itamar Vieira Junior; filmes da atriz e diretora Helena Ignez e do cineasta Takumã Kuikuro; vídeos dos artistas Edgar e Leona Vingativa e do fotógrafo Marcelo Rocha; e uma apresentação musical da Família Ernest Dias estão entre os primeiro trabalhos do programa IMS Convida. O Instituto Moreira Salles concebeu o programa como uma forma de dar apoio à prática artística durante a quarentena. Cerca de 60 artistas e coletivos produziram obras inéditas que levaram em conta a pluralidade e a diversidade do Brasil, que serão publicadas diariamente na plataforma. Na lista estão ainda nomes como os rappers Brô MCs, o cartunista Angeli, o cineasta Karim Aïnouz, o fotógrafo Roger Cipó e o coletivo Slam das Minas.