Conteúdos sobre tecnologia na Gama Revista

tecnologia

Imagem de destaque do post
Ler

A ética do deepfake no documentário sobre Bourdain

Para seu documentário, “Roadrunner”, sobre a vida de Anthony Bourdain, o diretor Morgan Neville confessou ter usado deepfake na voz do chef e apresentador de TV, que cometeu suicídio em 2018. Apesar de ter sido apenas na leitura de um email escrito pelo próprio Bourdain, fãs se indignaram com a falta de aviso e um possível desrespeito à memória do chef. Em artigo, a New Yorker aborda o tema e as complexidades éticas do deepfake, cujo uso no audiovisual ainda está engatinhando. (Leonardo Neiva)
Imagem de destaque do post
Ler

Já ouviu falar em cryptoart?

Também conhecido como NFT (token não-fungível, em português), o termo inundou a internet nos últimos dias e gerou dúvidas entre os internautas. Espécie de selo criptográfico que representa algo único, a cryptoart pode ser utilizada como prova de origem e autenticidade de obras mesmo em ambiente virtual. A matéria do TAB UOL dá um panorama sobre o tema e levanta, além das soluções, possíveis problemas da cryptoart. (Manuela Stelzer)
Imagem de destaque do post
Fazer

Cachorro para baixo, cachorro para cima

Com o app Down Dog, não vai haver desculpa: você vai se mexer, se alongar, se aquecer e, por fim, relaxar. Com ele é possível customizar totalmente a prática de Yoga: escolher nível de dificuldade, trilha sonora, estilo de exercício, nível de impacto, velocidade e objetivo — força ou flexibilidade, por exemplo —, além da duração, que vai de parcos quatro minutos a uma maratona de 90. A variedade é tão grande que dá a sensação de ter um personal especializado em Yoga ao seu lado. O aplicativo tem também uma espécie de calendário em que fica registrado o seu histórico e por onde é possível ver a evolução da prática, o que pode dar um incentivo a mais aos que têm dificuldade de manter a rotina. Há ainda as versões do aplicativo para outros tipos de exercício, como Hiit e Barre.
Imagem de destaque do post
Ler

A maior coleção de revistas do mundo

De acordo com o Guinness, livro de recordes mundiais, o britânico James Hyman é dono do maior arquivo de revistas do planeta, no qual reúne mais de 5 mil publicações e 150 mil edições. Há mais de três décadas, Hyman coleta todo tipo de material impresso que encontra, de revistas à panfletos, e os acomoda em um acervo de "cultura popular impressa", como ele mesmo denominou. Apesar da dificuldade que vive o mundo analógico, o colecionador diz que "é preciso sinergizar a revista física com o ambiente digital", e para o site It’s Nice That, compartilha uma pequena parte de seu tesouro, que inclui diversas capas psicodélicas e uma publicação descrita por Steve Jobs como "o Google em papel", entre outras raridades. (Manuela Stelzer)
Imagem de destaque do post
Assistir

Um papo sobre tecnologia, política e negócios com Zuckerberg

Em episódio inédito da série documental Axios, que levanta debates de relevância mundial por meio de entrevistas com grandes nomes (entre os quais já estiveram o presidente Donald Trump e a atual candidata à vice Kamala Harris), o empresário americano Mark Zuckerberg falou sobre o combate à desinformação durante a crise do coronavírus, a chegada das eleições nos Estados Unidos, entre outros temas que importam -- o slogan da série. Além do fundador do Facebook, a produção da HBO já contou com vários nomes de influência para explorar a intersecção entre tecnologia, mídia, política e negócios, e cobrir assuntos como o veredicto no caso Harvey Weinstein, a igualdade de gênero no esporte profissional, o impacto da pandemia, além de policiamento e justiça igualitária. Aos que querem acompanhar os debates, os episódios da série ficam disponíveis na plataforma da HBO GO.
Imagem de destaque do post
Ler

O futuro do sexo é agora

A realidade do isolamento tornou o toque proibido, mas não foi capaz de apagar o tesão. Talvez tenha sido a abstinência o que fez com que se pensasse ainda mais em sexo. Corpos solitários e excitados passaram a se aventurar na busca pelo prazer em um novo contexto, o da tecnologia. Vibradores, festas virtuais, webnamoros e sexting foram amplamente testados – tudo para conseguir gozar sem furar a quarentena. Estudiosos já previam: é o futuro do sexo. A partir desse tema, o especial do UOL, dividido em quatro partes e ilustrado com quadrinhos intercalados por textos e entrevistas com especialistas da área, versa sobre as novas maneiras de se relacionar e chegar ao prazer.
Imagem de destaque do post
Ir

Dê umas voltas de carro pelo mundo

E mais, ouça as rádios locais. Tá, essas voltas de carro não são exatamente literais, mas no site Drive and Listen você consegue simular um passeio por cidades como Amsterdã, Berlin, Budapeste, Seul, São Petersburgo e Tóquio. A lista inclui mais de 50 metrópoles ao redor do globo e há a possibilidade de dobrar a velocidade do carro e de baixar o vidro para ouvir o som das ruas. Para quem está quarentenado em casa há meses não deixa de ser uma maneira (estranha, porém divertida) de ver o mundo.
Imagem de destaque do post
Assistir

O oposto de 'Black Mirror'

Charlie Brooker, o criador de “Black Mirror”, disse que daria um tempo na série porque o mundo estava triste e sombrio demais. Isso explica o sucesso da nova ficção científica da Amazon Prime Video “Tales From The Loop”, batizada como a “antiBlack Mirror” pela internet. A antologia opta por explorar a relação entre a humanidade e a tecnologia sob um prisma positivo e esperançoso, talvez o que o mundo mais necessite no presente momento. Cada episódio é baseado em um quadro do pintor sueco Simon Stålenhag. A série já está disponível no serviço de streaming.
Imagem de destaque do post
Assistir

Uma rede social de dar inveja a Marina Abramovic

Um minuto de silêncio. Olho no olho de um completo desconhecido. Sem qualquer tipo de comunicação, apenas uma conexão honesta pelo olhar. A descrição pode até lembrar uma intervenção artística de Marina Abramovic, mas é a proposta do site Human Online. A plataforma é um espaço para se conectar com as pessoas ao redor do mundo e durante um minuto, compartilhar a simplicidade do existir com um estranho. Sem conversas ou pensamentos, apenas o momento.