Natalia Timerman responde: Questionário Proust — Gama Revista
Questionário Proust

Natalia Timerman

Psiquiatra e escritora

12 de Fevereiro de 2022

Nascida em 1981 em São Paulo, Natalia escreveu “Desterros: Histórias de um Hospital-Prisão” (2017), e a coletânea de contos “Rachaduras” (2019), finalista do prêmio Jabuti. Em 2021, ela lançou seu primeiro romance “Copo Vazio”, sobre o looping mental da paixão após um abandono abrupto

  • 1

    Qual é sua ideia de felicidade perfeita?

    Não sei se há uma felicidade perfeita, porque todo momento de felicidade traz junto o medo de perdê-la. Talvez o mais perto disso seja uma felicidade completa: aquela que consigo perceber durante. Nada muito grandioso, porque assim consigo despistar o medo: uma chuvinha lá fora e um bom livro no meu sofá azul; uma gargalhada conjunta; dançar de corpo inteiro.

  • 2

    Qual é o seu maior medo?

    São dois, os dois lados do mesmo medo: perder as pessoas que amo ou deixá-las desamparadas, sem mim.

  • 3

    Que característica mais detesta em você?

    Ter uma dificuldade imensa de desligar à noite, um tipo de ritualização da preocupação. Como se ela garantisse que as coisas fossem dar certo.

  • 4

    Que característica mais detesta nos outros?

    A teimosia.

  • 5

    Que pessoa viva você mais admira?

    Dilma Rousseff.

  • 6

    Qual é a sua maior extravagância?

    Nem tentar controlar meu impulso frenético por comprar livros.

  • 7

    Qual é o seu estado mental atual?

    Apreensão pelo futuro.

  • 8

    Que virtude considera superestimada?

    Estou pensando há horas e não consigo responder. Talvez nenhuma virtude seja excessiva.

  • 9

    Em que ocasião você mente?

    Quando digo que não minto.

  • 10

    O que menos gosta sobre sua aparência?

    A grossura das minhas pernas e dos meus braços.

  • 11

    Que pessoa viva você mais despreza?

    Jair Messias Bolsonaro.

  • 12

    Que qualidade mais admira em um homem?

    A capacidade de escutar.

  • 13

    Que qualidade mais admira em uma mulher?

    A capacidade de falar.

  • 14

    De que palavras ou frases você abusa?

    Abuso da palavra desculpa.

  • 15

    O que ou quem é o maior amor da sua vida?

    Meus filhos.

  • 16

    Quando e onde você foi mais feliz na vida?

    Na infância, a terra da felicidade perdida.

  • 17

    Que talento você mais gostaria de ter?

    Gostaria que minha memória não fosse tão ligada ao afeto, que fosse mais reta, isenta, detalhista, que me fizesse sentir mais dona do meu passado.

  • 18

    Se você pudesse mudar uma coisa sobre você, o que seria?

    Adoraria ser uma pessoa que dorme, que dorme fácil, que dorme em qualquer lugar.

  • 19

    O que considera sua maior conquista?

    A minha rotina.

  • 20

    Se você morresse e voltasse como uma coisa ou uma pessoa, o que você gostaria de ser?

    Um rio.

  • 21

    Onde você mais gostaria de morar?

    No mato, com algum conforto, cheia de livros.

  • 22

    Qual é o seu pertence mais estimado?

    Minha biblioteca.

  • 23

    O que você considera o nível mais baixo da desgraça?

    Apoiar Bolsonaro e seus ministros da destruição.

  • 24

    Qual sua ocupação favorita?

    Ler e, em momentos muito específicos, quando o texto está fluindo tanto que sinto pressa de fazê-lo existir, como se tivesse que o alcançar, escrever. Nos outros, escrever é sofrimento.

  • 25

    Qual sua característica mais marcante?

    A determinação.

  • 26

    O que você mais valoriza em seus amigos?

    Que compreendam minha disponibilidade errática.

  • 27

    Quais os seus escritores favoritos?

    O que nomeia este questionário, Machado, Flaubert, Tolstói, Hilst, Rosa, Beauvoir, Austen, Ferrante, Knausgard, mas tenho também uma lista de brasileiros contemporâneos muito admirada: Giovana Madalosso, Tatiana Salem Levy, Paulliny Tort, Nara Vidal, Micheliny Verunschk, Andrea Del Fuego, Lubi Prates, Marília Garcia, Natércia Pontes, Veronica Stigger, Natália Zuccala, José Santana Filho, Gabriela Aguerre, Vanessa Barbara, Carola Saavedra, Carol Bensimon, Ricardo Terto, Julia Bac, Carla Kinzo, Júlia de Carvalho Hansen, Mauro Paz, Juliano Garcia Pessanha.

  • 28

    Quem é seu herói na ficção?

    Diadorim.

  • 29

    Com qual figura histórica você mais se identifica?

    Hannah Arendt, que virou figura histórica pelo seu olhar para a história.

  • 30

    Quem são seus heróis na vida real?

    Os professores.

  • 31

    Quais são seus nomes favoritos?

    Não tenho nomes favoritos, gosto dos nomes que cabem bem a quem nomeiam.

  • 32

    O que você mais detesta?

    Hoje, a destruição sistemática do Brasil pelo pior governo que este país já viu.

  • 33

    Qual seu grande arrependimento?

    Ter agido como se minha mãe fosse durar para sempre. Eu ficava muito irritada com as ligações frequentes dela. Hoje ela está num estágio já avançado de Alzheimer e eu sinto tanta, tanta falta de sua insistência em falar comigo.

  • 34

    Como gostaria de morrer?

    Consciente do momento da passagem. Gostaria de quase ir, voltar, entender, e então partir definitivamente.

  • 35

    Qual é o seu lema?

    Cuide de quem você será, cuide de quem você foi. Saiba que suas realizações como branca e rica neste planeta são assentadas em privilégios que você precisa cotidianamente reconhecer e aprender a prescindir.